contato@pradoodonto.com.br

Hoje é Sexta-Feira, 22 de Junho de 2018

Serviços


Oferecemos diversos serviços com a mais alta qualidade, contando com profissionais qualificados e equipamentos de última geração.

Saiba mais sobre cada especialidade da Prado Odonto e agende já uma visita com especialistas em saúde bucal.


Ortodontia

  • Oque é?

    Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada. Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal. Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência.

    O tratamento ortodôntico torna a boca mais saudável, proporciona uma aparência mais agradável e dentes com possibilidade de durar a vida toda.

    O especialista neste campo é chamado de ortodontista. Os ortodontistas precisam fazer um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular.


  • Como saber se preciso de um tratamento ortodôntico?

    Apenas seu dentista ou ortodontista poderá determinar se você poderá se beneficiar de um tratamento ortodôntico.


  • Como funciona um tratamento ortodôntico eficaz?

    Diversos tipos de aparelhos, tanto fixos como móveis, são utilizados para ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular. Estes aparelhos funcionam colocando uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do seu problema é que irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz.

Periodontia

  • Oque é?

    Doenças periodontais, incluindo gengivite e periodontite, são infecções sérias que, se não tratadas, podem causar a perda dentária. A palavra periodontal significa literalmente "ao redor do dente". A doença periodontal é uma infecção bacteriana crônica que afeta as gengivas e o osso que suporta os dentes.

    A doença periodontal pode afetar um ou vários dentes. Esta doença inicia quando a bactéria presente na placa (película viscosa e incolor que constantemente se forma sobre os dentes) começa a inflamar a gengiva.

    Na forma mais branda da doença, a gengivite , a gengiva se torna vermelha, inchada e sangra com facilidade. Nesta fase, há pouco ou nenhum desconforto. A gengivite é causada por higiene oral inadequada, e é reversível com tratamento profissional e uma boa higiene oral doméstica.


  • Causas

    A causa principal da doença periodontal é a placa bacteriana, película viscosa e incolor que constantemente se forma sobre os dentes. Entretanto, fatores como os citados a seguir também podem afetar a saúde de suas gengivas.

    Fumo:
    Como você provavelmente já sabe, o cigarro está relacionado com muitas doenças sérias como o câncer, doenças pulmonares, problemas cardiovasculares, assim como muitos outros problemas de saúde. O que você pode não saber é que os fumantes estão sob maior risco de apresentar doença periodontal. De fato, estudos recentes demonstraram que o cigarro pode ser um dos mais importantes fatores de risco no desenvolvimento e na progressão da doença periodontal.

    Genética:
    Pesquisas provam que mais de 30% da população pode ser geneticamente susceptível à doenças gengivais. Apesar de bons hábitos de higiene e cuidado oral, estas pessoas podem ser seis vezes mais predispostas a apresentarem doenças periodontais. Identificar estas pessoas através de testes genéticos antes mesmo de apresentarem sintomas da doença, e submetê-las a um tratamento prévio pode ajudá-las a manter seus dentes por toda a vida.

    Gravidez e Puberdade:
    Escovar bem os dentes, usar fio dental, uma dieta saudável, e exercícios físicos regulares são importantes para manter uma boa saúde. No entanto, em determinadas fases da vida de uma mulher, estes cuidados devem ser redobrados. Fases como a puberdade e menopausa, ou ainda períodos menstruais e gravidez, são períodos de intensas alterações hormonais, que podem afetar diversos tecidos em todo o corpo, inclusive as gengivas. Estas podem se tornar sensíveis e até reagir agressivamente a essa flutuação hormonal, o que aumentaria a susceptibilidade à doença periodontal. Além disso, estudos recentes sugerem que mulheres grávidas que apresentam periodontite estão sob um risco sete vezes maior de ter um parto pré-maturo, e bebês de baixo peso.

    Estresse:
    Você já deve ter ouvido que o estresse está relacionado com muitas doenças sérias como hipertensão, câncer, assim como muitos outros problemas de saúde. O que você pode não saber é que o estresse também é um dos mais importantes fatores de risco no desenvolvimento e na progressão da doença periodontal. Pesquisas demonstram que o estresse torna mais difícil para o organismo lutar contra infecções, inclusive as doenças periodontais.

    Medicamentos:
    Alguns medicamentos como contraceptivos orais, antidepressivos, anticonvulsivos, e certos medicamentos para problemas cardiovasculares, podem afetar sua saúde oral. Assim como você informa ao seu médico sobre os medicamentos que faz uso, você também deve nos informar sobre os medicamentos em uso.

    Parafunção:
    Alguém alguma vez já lhe disse que você range seus dentes à noite? Seu maxilar está dolorido por apertar seus dentes quando você está sob tensão? Apertar ou ranger os dentes submete os tecidos ao redor dos dentes a um excesso de força e pode acelerar a destruição dos tecidos periodontais em caso de doença.

    Diabetes:
    Diabetes é uma doença que altera os níveis do açúcar no sangue. A diabetes se desenvolve por uma deficiência na produção de insulina (hormônio que é o componente chave no processo de consumo do açúcar no sangue pelo organismo) ou uma incapacidade do organismo de utilizar esta insulina corretamente. De acordo com a Associação Americana de Diabetes, aproximadamente 16 milhões de americanos têm diabetes; entretanto, mais da metade não foi diagnosticado para esta doença. Se você é diabético, você tem um risco maior de desenvolver infecções, incluindo as doenças periodontais. Estas infecções podem diminuir a capacidade de produzir e/ou utilizar a insulina, o que pode dificultar o controle da diabetes, como também pode tornar a infecção mais severa do que em indivíduos não diabéticos.

    Má Nutrição:
    Como você já deve saber, uma dieta pobre em nutrientes importantes pode comprometer o sistema imune e tornar mais difícil para o corpo lutar contra infecções. Já que a doença periodontal é uma doença infecciosa, a má nutrição pode piorar a condição de suas gengivas.

    Outras Doenças Sistêmicas:
    Doenças que interferem com o seu sistema imune podem afetar a sua saúde bucal.


  • Sintomas
    • - Gengivas que sangram facilmente, durante a escovação ou uso do fio dental;
    • - Gengivas vermelhas, inchadas ou flácidas;
    • - Gengivas que se afastam dos dentes;
    • - Mal hálito persistente;
    • - Presença de secreção purulenta entre os dentes e as gengivas;
    • - Mudança de posição ou mobilidade dentária;
    • - Alteração na forma com que seus dentes se encaixam entre si quando você morde;
    • - Possui um membro da família que tem doença peridontal. Pesquisas têm demonstrado que bactérias que causam doença periodontal podem ser transmitidas através da saliva, o que expõe crianças e conjugues ao risco de contrair doença periodontal. Além disso, a hereditariedade genética também é um fator de risco para doença periodontal;
    • - Possui problemas cardíacos ou respiratórios, diabetes, ou osteoporose. Pesquisas em andamento tem demonstrado que a doença periodontal pode ter ligação com as condições citadas acima. Bactérias associadas à doença periodontal e componentes inflamatórios podem, através da corrente sangüínea, ser uma ameaça a outras partes do organismo. Gengivas doentes, organismo doente;
    • - Se seus dentes aparentam estar mais curtos ou o seu sorriso mostra muito a sua gengiva;
    • - Se seus dentes aparentam estar mais longos ou com maior sensibilidade ao frio ou ao calor;
    • - Presença de manchas ou depósitos de tártaro na superfície de seus dentes, principalmente próximo a gengiva;
    • - Se você fuma mais de 10 cigarros por dia.

Prótese

  • Oque é?

    Uma prótese pode ser feita para substituir 1 dente, 2 dentes, 3 dentes... até a totalidade dos dentes. Para cada situação existe um tipo recomendado, ou várias tipos de prótese possíveis. A falta de dentes prejudica a dentição. É urgente repôr o dente perdido através do tipo de prótese dentária adequada.

    A perda de dentes pode ser provocada pela cárie, doenças das gengivas e por traumatismos (as doenças das gengivas são a principal causa). Quando faltam dentes, os que estão ao lado e os oponentes tendem a mover-se para o espaço livre provocando todo o tipo de desequilíbrios nas arcadas dentárias. Também se dá a reabsorção (desaparecimento por absorção pelo organismo) do osso alvéolar (osso esponjoso onde estão implantadas as raízes dos dentes). Para restaurar as funções mastigatória, estética e fonética, e minimizar os efeitos acima referidos, faz-se uma prótese dentária fixa ou móvel.

    O especialista neste campo é chamado de ortodontista. Os ortodontistas precisam fazer um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular.


  • Como funciona um tratamento para prótese?

    Para poder fazer uma prótese dentária, o paciente tem primeiro que tratar dos dentes que restam. Como é óbvio não se coloca uma prótese dentária numa boca com cáries. Depois deste procedimento concluído, o dentista tira uma impressão (molde) da boca, em cima e em baixo. É indolor e o único desconforto é o tempo de espera até que o material de impressão endureça (alguns minutos de boca aberta). Os moldes seguem para um laboratório de prótese dentária onde um Técnico de Prótese Dentária verte gesso para dentro deles, de modo a obter um modelo que replica a boca do paciente. É com os modelos obtidos que começa o trabalho da prótese dental. Podem ser necessárias várias provas antes de finalizar o trabalho. A cada uma dessas provas, o paciente é chamado ao consultório do dentista e convidado a dar a sua opinião. Finalmente chega o dia da entrega e colocação da prótese dentária. Básicamente são estes os procedimentos normais.

Implantes

  • Oque é?

    Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.


  • Como funcionam os implantes dentários?

    Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Esta modalidade de prótese é chamada “protese sobre implante” e confere ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.

    Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos ou falta de adaptação a estes aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Com a colocação de implantes não é necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar como é feito em pontes fixas convencionais.

    Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.

    Os implantes são, em geral, mais caros que outros métodos de substituição de dentes e a maioria dos convênios não cobre seus custos.

    O tipo de implante mais recomendado na atualidade é o ósseo integrado que se mostrou uma revolução no tratamento de pacientes parcial ou totalmente desdentados.


    • Os pinos são colocados cirurgicamente sob a gengiva

    • Dentes artificiais, agrupados em uma ponte, são encaixados nos pinos

    • Os implantes oferecem um encaixe bastante estável e firme

    • Implantes servem de base para dentes substitutos isolados

Endodontia

  • Oque é?

    Tratamento odontológico que visa tratar o canal dentário comprometido.

    A endodontia é o ramo da Odontologia que trata das lesões e doenças da polpa (nervo) e da raiz do dente. Popularmente, endodontia também é chamada de tratamento de canal. O tratamento consiste na remoção do tecido mole (polpa) que se encontra na parte interna (canal) do dente e pode estar vivo, sadio, inflamado, infectado ou necrosado (morto).

    Depois de se remover esse tecido, o dentista esteriliza o canal preenchendo-o com obturação em material específico.


  • Por que é importante realizar a endodontia, ou tratamento de canal?

    Tratar o canal dos dentes lesionados é importante para:

    - Evitar a necessidade de extração do dente;

    - Prevenir infecções que podem ser muito perigosas como Bacteremia (bactérias na corrente sanguínea) e Infecções à distância (articulações, febre reumática, entre outros);

    Além de evidar dor intensa, inchaço e febre.


  • Tratamento

    O tratamento de canal é feito em várias etapas, realizadas em várias visitas ao dentista, dependendo do caso.

    Primeiramente, é feita uma abertura na da parte posterior de um dente frontal ou na coroa de um dente posterior, molar ou pré-molar.

    Em seguida a polpa infeccionada é removida (pulpectomia). O espaço pulpar e os canais são esvaziados, alargados e limados, em preparação para o seu preenchimento. Uma restauração temporária é colocada na abertura da coroa, a fim de proteger o dente no intervalo das visitas.

    Para finalizar o tratamento, a restauração temporária é removida e a cavidade da polpa e os canais são preenchidos permanentemente. Um material em forma de cone (flexível) é inserido em cada um dos canais e geralmente selado em posição com um cimento apropriado. Uma coroa é geralmente colocada sobre o dente para restaurar seu formato e lhe conferir uma aparência natural. Se o dente estiver fraturado ou muito destruído pode ser necessário colocar um pino cimentado no canal antes da confecção da coroa.

Clínica Geral

  • Oque é?

    É uma área multidisciplinar da odontologia, entre as competências de um Clínico Geral estão prevenção, diagnóstico e tratamento de uma ampla variedade de condições, desordens e doenças dos dentes e gengivas. O dentista clínico geral presta serviços relacionados a manutenção da higiene oral e saúde bucal.

    A fim de manter uma saúde bucal, a Associação Americana de Odontologia recomenda a população uma visita ao dentista clínico geral com uma certa regularidade (pelo menos a cada 6 mêses) para garantir uma correta higiene bucal e saúde oral. Exames regulares e manutenção de saúde bucal podem previnir o desenvolvimento de sérios problemas dentários que podem exigir tratamentos corretivos. Se uma pessoa visita o seu dentista clínico regularmente, ela pode ter a tranquilidade de ter um profíssional qualificado zelando por sua saúde bucal.


  • Alguns procedimentos executados pelo dentista clínico geral:
    • - Aplicação de flúor;
    • - Limpeza Dental (Profilaxia);
    • - Raspagem de tártaro;
    • - Remoção de cáries;
    • - Atendimentos de urgência;
    • - Pequenas restaurações;
    • - Ajustes e polimentos de restaurações;
    • - Orientações de técnicas de higiene bucal.